Novembro Azul é um movimento mundial que acontece durante o mês de novembro para reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. A doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros – de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca),  a cada dia 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata* e aproximadamente 3 milhões vivem com a doença, as maiores vítimas são homens a partir dos 50 anos, além de pessoas com presença da doença em parentes de primeiro grau, como pai, irmão ou filho.

No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o intuito de promover uma mudança de paradigmas em relação à ida do homem ao serviço de saúde. Durante o mês de novembro, diversos prédios e monumentos históricos se iluminam de azul com o objetivo de chamar a atenção para o movimento global de conscientização em prol da saúde do homem. Todos os anos, oficialmente, 21 países preparam campanhas sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata, além de lembrar aos homens que cuidar da saúde é fundamental.

Na PRESERVES, é realizada a campanha em todas as frentes de serviço, com palestras e ações de divulgação com informações sobre a Doença/Como Prevenir/Formas de tratamento e como Procurar Ajuda, principalmente na necessidade de se quebrar os tabus e preconceitos sobre o tema. “Realizar campanhas em prol da saúde, é também cuidar da segurança de nossos colaboradores”, afirma Glauber Sant’Ana, diretor e CEO da empresa. Hoje a Preserves tem um público de colaboradores, de mais de 800 pessoas, sendo em sua maioria homens e muitos deles na idade de atenção a doença.

Para ficar atento

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino responsável por produzir uma secreção fluida para nutrição e transporte dos espermatozoides. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto, sendo atravessada pela uretra, canal que se estende desde a bexiga até a extremidade do pênis e por onde a urina é eliminada. (Mais informações: https://portaldaurologia.org.br/faq/10-perguntas-sobre-o-cancer-de-prostata/)

O diagnóstico do câncer de próstata é feito exclusivamente através da biópsia da próstata. Para indicar corretamente a biópsia, o urologista precisa levar em consideração vários fatores, dentre eles o toque retal. A finalidade desse exame é detectar qualquer alteração na próstata (endurecimento, nódulos) que possa estar relacionada com a presença do câncer.

Apesar de desconfortável, é parte fundamental da avaliação prostática, servindo também para auxiliar na decisão da melhor forma de tratamento, caso o câncer esteja presente. O PSA é o marcador mais utilizado no auxílio ao diagnóstico de câncer de próstata. Isoladamente, o PSA elevado não significa exatamente que o indivíduo tem câncer de próstata, por isso a necessidade do toque retal. Outro cuidado muito importante, é manter sempre em dia os exames de rotina. Os exames periódicos são essenciais para manter um cronograma de prevenção de doenças. Entre os cuidados básicos que todo homem precisa ter com a saúde, precisa-se destacar os seguintes testes e exames que devem ser realizados com frequência:

  • Verificação da pressão arterial
  • Hemograma completo e testes de urina
  • Teste de glicemia, para prevenção de diabetes
  • Atualização da carteira vacinal
  • Verificação do perímetro abdominal e teste de IMC

 Novidades no tratamento

Muitos homens têm medo do diagnóstico de câncer, porém, a medicina tem evoluído para proporcionar aos pacientes tratamentos menos invasivos e cada vez mais eficazes. Segundo  a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), também existem novidades como a utilização de exames de imagem em paciente com indicação clínica para biópsia, como a ressonância magnética multiparamétrica, que podem indicar a probabilidade de encontrar um câncer de próstata significativo utilizando a mais recente escala PI-RADS 2.1.

Esse exame já foi incorporado na maioria das diretrizes internacionais e está chegando aos consultórios brasileiros.

* Fonte: Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Datasus (2018)

INCA (Instituto Nacional do Câncer)  – Câncer de próstata